domingo, 27 de setembro de 2009

Do Proto-indo-europeu ao Grego, Latim e Inglês

Vamos ver agora como os sons do Proto-indo-europeu evoluíram para o Grego, Latim e Inglês:

1. Consoantes oclusivas surdas simples: p, t, k. No grego e no latim estas consoantes se mantiveram inalteradas. Nas línguas germânicas elas se mutaram em fricativas: p se tornou f, t se tornou th e k se tornou ch (como no alemão) ou h. Uma excessão ocorre quando prececido de S, quando então f, t e k não mutaram em línguas germânicas.
Exemplos de palavras:
PIE peh2ter > latim pater, grego πάτερ, πατέρας, inglês father.
PIE meh2ter > latim mater, grego μήτηρμητέρα, inglês mother.
PIE treyes > latim tres, grego τρεις, inglês three.
PIE krewh2 (carne crua) > latim cruor (cru), grego κρέας (carne), inglês raw (cru, em inglês antigo hréaw).
PIE steh2 (estar parado) > latim sto (estou),  grego ίσταμαι (estar parado), inglês stand (estar parado).


2. Consoantes oclusivas surdas compostas: ky, kw.
KY em latim e grego se tornou um K simples. Em línguas germânicas se tornou y após vogal átona, k após "s" ou "f" e desapareceu quando entre duas vogais. Em outras situações, se tornou um h.
KW em latim permaneceu inalterado em sua maioria (qu), exceto antes de O e U, onde se tornou k (c). Em línguas germânicas, se tornou uma fricativa (hw), ou permaneceu inalterado após "s" ou "f". Em grego, se tornou T antes de E e I, K antes de U e P em outros casos.
Exemplos:
PIE kwetwores > latim quattuor, grego τέτταρες, τέσσερεις, inglês four (em proto-germânico petwor, provavelmente de alguma variação contendo p no local de kw).
PIE penkwe > latim quinque (de uma provavel forma pinque com "p" sendo homogeneizado com o "qu"), grego πέντε, inglês five (proto-germânico fimfi, vindo de femwe).

3.Consoantes oclusivas sonoras simples: b, d, g. Mantiveram-se inalterados em grego e latim. Em línguas germânicas se tornaram surdas: p, t, k.
Exemplos:
PIE demh2 (domesticar, domar) > latim domo, grego δαμάζω, inglês tame.
PIE gel (frio) > latim gelu, grego antigo γελάδρον, inglês cold.

4. Consoantes oclusivas sonoras compostas: gy, gw. GY se tornou G em latim e grego e K em inglês. GW se tornou V em latim (exceto quando precidido de N, onde não se alterou), KW em inglês e em grego se tornou B, D ou G, seguindo as mesmas regras de KW.
Exemplos:
PIE gyneh3 (saber) > latim gnosco, grego γνωρίζω, inglês know.
PIE gwena (mulher) > latim -, grego γυνή, γυναίκα, inglês queen.

5. Consoantes oclusivas sonoras simples aspiradas: bh, dh, gh.
Grego: se tornaram aspiradas sonoras: ph(φ), th(θ), kh(χ)
Latim: bh se tornou F (ou B entre vogais), dh se tornou F (ou D entre vogais e B nas situações "udh, rdh, dhr, dhl") e gh se tornou H (ou G antes de M, N, L ou R).
Inglês: perderam a sonorização: b, d, g. Entre vogais, BH se tornou F e GH se tornou W ou Y.
Exemplos:
PIE bher (carregar) > latin fero, grego φέρω, inglês bear
PIE dhuh3mo (fumaça) > latim fumus, grego θυμός, inglês damp

6. Consoantes oclusivas sonoras compostas aspiradas: gyh, gwh GYH seguiu as mesmas gregras de GH. Quando a GWH:
Latim: tornou-se F. Entre vogais se tornou G ou W e após N se tornou GW.
Inglês: tornou-se G ou B. Entre vogais se tornou W.
Grego: tornou-se ph, th ou kh, seguindo as mesmas gregras de bh, dh e gh.
Exemplos: 
PIE gyhel (brilhar) > latim fel, grego χλορος, inglês gold.
PIE gwherm (quente) > latim furnus, grego θερμός, inglês burn, warm.

Mais no próximo post!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário